sábado, 28 de fevereiro de 2015

Manejo sanitário e programas de vacinação para poedeiras



Os programas de vacinação utilizados na criação de poedeiras comerciais variam sistematicamente em função do risco sanitário de cada região

Manejo sanitário e programas de vacinação para poedeiras
Programas de vacinação e manejo sanitário para evitar problemas na produção de ovos

Aves sadias, instaladas em um local recém-construído, raramente apresentam problemas sanitários. A melhor opção para um controle de doenças é o sistema que descarta todas as aves ao mesmo tempo, efetuando, em seguida, a limpeza e desinfecção rigorosa do aviário. A repovoação só deve ser feita depois do vazio sanitário, que é representado por um intervalo de 15 dias em que o galpão fica vazio, até a chegada de novas aves.

Os programas de vacinação utilizados na criação de poedeiras comerciais variam sistematicamente em função do risco sanitário de cada região. A vacina obrigatória contra a Marek que é aplicada, no período incubatório no primeiro dia de vida das aves.

Realize a vacinação em dias que se encaixem no manejo, para que não seja necessário deslocar funcionários de funções primordiais e também não incomodar as aves várias vezes, e com isso, estressá-las.

Para a vacinação, o professor Dr. Júlio Maria Pupa, coordenador técnico do curso Galinhas Poedeiras – Produção e Comercialização, elaborado pelo CPT – Centro de Produções Técnicas, aconselha, “para otimizar o controle durante a vacinação, esvazie uma gaiola, vacine as aves e passe-as para a gaiola seguinte, até que todo o lote receba a medicação.”

Faça, periodicamente, uma triagem e seleção das poedeiras para eliminar, por razões econômicas, aquelas que não estão produzindo e as que estão debilitadas. Aves que apresentam feridas graves causadas pelas gaiolas ou por bicadas, galinhas doentes ou com aspecto doentio, tristes, com empenamento sem brilho ou com manifestações de diarréia são sérias candidatas a uma possível eliminação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário